Arquivo da categoria: BTT

Via de La Plata – Etapa 10 – Salamanca – El Cubo de La Tierra del Vino

Via de La Plata – Etapa 10 – Salamanca – El Cubo de La Tierra del Vino – 11/09/2014

 

Etapa arrastada por conta de ter puxado muito nos dias anteriores, diversas paradas para descanso, claro que uma ressaca também pode ser a causa.

No meio do caminho quando parei mandei um whatsapp para o Albergue Cubo del Vino e no mesmo instante ele me ligou, foi muito solícito e como eu já estava acompanhando o mesmo pelo facebook resolvi finalizar o dia pernoitando lá.

O albergue segue o estilo do Caminho Francês, só havia eu de peregrino no Albergue.

 

 

 

 

 

 

 

Via de La Plata – Etapa 09 – Baños de Montemayor – Salamanca

Via de La Plata – Etapa 09 – Baños de Montemayor – Salamanca – 10/09/2014

Etapa tranquila sem surpresas ou pneus furados, subida logo após Baños de Montemayor pela carreteira é continua porém forte, mas 100% pedalável, tinha uma macieira na beira da estrada, linda toda carregada de maçãs. Após Bejar pega-se uma trilha muito bonita que vai subindo até dar um visual muito legal, o bixo pega mesmo quando temos que subir até a Cruz de Ferro da Plata, sinistra a subida, muito forte, depois a descida é bem técnica, desci devagar para evitar problemas na bicicleta. Depois foi carreteira até Salamanca.

Salamanca tem uma ciclovia que liga uma cidade próxima a ela e adentrei na cidade assim. Quando avistei a catedral foi Êxtase total, tive que parar para poder chorar.

 

 

 

 

 

Via de La Plata – Etapa 08 – Galisteo – Baños de Montemayor

Via de La Plata – Etapa 08 – Galisteo – Baños de Montemayor – 09/09/2014

A etapa começou saindo de Galisteo e curtindo a vista da Muralha que cerca o casco antigo, depois encara-se uma subida de transição, que marca o início de uma espécie de planalto que atravessaremos.

A ida até Aldehuela del Jerte é tranquila e a chegada em Carcaboso também, agora a partir de Carcaboso o bicho pega, atravessa-se áreas de pasto e fazendas, local muito bonito, mas muito mal sinalizado. O dono deixa os cachorros soltos, nesse ponto senti falta de um spray de pimenta, quando sai do trecho de terra e adentrei o asfalto, adivinha quem encontrou o meu pneu, um daqueles espinhos que tanto gostam de mim, dessa vez usei uma técnica de lateralização com alforges para trocar sem necessitar tirar os alforges.

 

 

 

Via de La Plata – Etapa 07 – Cáceres – Galisteo

Via de La Plata – Etapa 07 – Cáceres – Galisteo – 08/09/2014

Hoje foi o dia da Extremadura (região que atravessamos) havia festa e feriado.

Saimos um pouco tarde de Cáceres após tomar o desayuno no Albergue.

Saída de Cáceres pela Plaza del Toro bem sinalizada, sentido Casar de Cáceres, Pueblo muito bom, com um charme a parte. Após Casar de Cáceres seguimos sentido Canaveral onde passa-se por áreas rurais e numa delas tem-se muitas ovelhas com avisos para não esquecer de fechar as porteiras quando passar. A parte de obras do GVT (AVE – trem de alta velocidade) está bem sinalizada, mas sempre querem que você siga por um caminho natural que é uma merda, eu optei por ir pela carreteira (N-630) e foi bem tranquilo, foi o primeiro dia que realmente peguei chuva, tive que enfrentá-la. A estrada serpenteia uma represa e existem duas pontes enormes muito altas que assustam um pouco quando se passa, bastante vento lateral também.

Devido a chuva achei melhor seguir pela carreteira até o final da etapa do dia. Gostei de Canaveral, mas era um local perto e estava querendo pedalar mais, tomei uma coca e fui até Grimaldo, não curti a energia do local e avancei um pouco mais até RioLobos, trecho de single-track, quando cheguei a RioLobos ainda não havia entrado na sintonia para parar e avancei em mais single-tracks até Galisteo onde pousei.

 

 

 

 

 

 

Via de La Plata – Etapa 06 – Aljucen – Cáceres

Via de La Plata – Etapa 06 – Aljucen – Cáceres – 07/09/2014

Saímos de Aljucen e continuamos por entre plantações, até Alcuescar é um tramos com inclinação bem acentuada e pedregoso. Trecho bem pesado ainda mais com os repetidos furos causados pelas ervas daninhas.

Chegamos a Cáceres bem tarde e foi um trabalho achar Hostal ou Albergue, após alguma pesquisa achamos o Albergue Las Veletas, Muito Bom. Na pesquisa vimos hoteis bons por 42 e 59 euros (2 ou 3 pax)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Via de La Plata – Etapa 05 – VillaFranca de Los Barros – Aljucén

Via de La Plata – Etapa 05 – VillaFranca de Los Barros – Aljucén – 06/09/2014

 

Saímos do Albergue Tierra de Los Barros rumo a Aljucen, trecho muito bom Atravessando plantações de uva que estava na época da colheita, vimos alguns grupos de trabalhadores colhendo uvas. Ao lado das plantações, dividindo estas com a estrada existem umas ervas daninhas que nessa é estão muito secas e que tem uns espinhos muito grandes que causam diversos furos nos pneus. O que inclusive pode ser visto nas fotos abaixo.

Atravessamos Mérida por fora sem parar e seguimos rumo a Aljucen.

Após Mérida existe um lago com uma área de lazer no entorno, local muito bonito, justamente onde ocorreu meu primeiro furo. Feito o reparo na continuidade do camino encontramos um bar a beira do lago onde tomamos umas canecas de cerveza geladíssima. O restante do percurso até Aljucen foi bem pesado devido a estarmos muitas horas pedalando e ao extremo calor.

 

 

 

 

 

 

 

Via de La Plata – Etapa 04 – Fuente de Cantos – VillaFranca de Los Barros

Via de La Plata – Etapa 04 – Fuente de Cantos – VillaFranca de Los Barros – 05/09/2014

Saída de Fuente de Cantos ocorreu sem maiores problemas seguimos sentido Zafra passando por Calzadilla de Los Barros, o percurso é basicamente um tramo de terra pedregoso e com muita poeira devido à época seca, imagino que com a chuva transforme-se num lamaçal. Chega-se a Zafra passando por Sancho Peres onde paramos numa tienda para comprar víveres, o acesso a Zafra é pela ferrovia da Renfe, entra-se na parte urbana próximo à antiga estação ferroviária.

Passamos no Albergue de Peregrinos de Zafra que também é a sede da Associação do Camino de Zafra, pegamos informações e ligamos para o Albergue Tierra de Los Barros para reservar. Após Zafra tem uma subida razoável onde pedalamos a uma temperatura ambiente de 47oC à sombra, absurdamente quente. Depois foram trechos serpenteando plantações de uva e olivas até chegarmos a Los Barros onde ficamos no Albergue bicigrino.

 

 

 

Via de La Plata – Etapa 03 – El Real de Jara – Fuente de Cantos

Via de La Plata – Etapa 03 – El Real de Jara – Fuente de Cantos – 04/09/2014

Etapa começou tomando café num Bar onde encontramos 2 ciclistas holandeses que estavam em bikes streets da Giant.

Após o café iniciamos o processo de subida até Monastério, subida suave com momentos próximos a uma carreteira e em outros com piso de saibro. Em Monastério paramos para reparar as bikes do João e da Telma , até esse momento o CS2 não apresentou problemas.

Após o reparo continuamos a viagem por campos áridos até Fuente de Cantos, onde ficamos num Hostal e no caminho de volta da cena para o Hostal passamos por uma festa tradicional na cidade.

 

 

 

Via de La Plata – Etapa 02 – Castiblanco de Arroyos – El Real de Jara

Via de La Plata – Etapa 02 – Castiblanco de Arroyos – El Real de Jara – 03/09/2014.

O dia começou bem cedo ainda escuro para evitarmos o calor intenso, percorremos a carreteira (estrada) até a entrada do Parque de La Sierra Norte (El Barrocal), parque lindíssimo mas devido a época do ano estava muito árido, a saída do parque em direção a Almaden de La Plata é uma parede chamada subida do calvário, muito sinistra a inclinação com a bike carregada tem-se que descer da bike, empurrar um pouco , freiar e dar um passo, depois empurra um pouco e freia novamente. Trecho poderosíssimo, visual alucinante e um DH para chegar em Almaden de La Plata. Em Almadém após realizar uma hidratação continuamos até El Real de Jara para pernoite. Abaixo as fotos da Etapa.

 

 

Etapa salva no Strava

 

 

Via de La Plata – Etapa 01 – Sevilla – Castiblanco de Arroyos

Etapa 01 – Sevilla – Castiblanco de Arroyos.